Blog do Torero

29/03/2007

O octingésimo nonagésimo nono gol

Neste fim de semana é bem provável que Romário marque um gol contra o Botafogo. Se isso acontecer, no domingo ele será o principal assunto de todas as mesas-redondas e terá reportagem especial no "Fantástico". E, na segunda-feira, estará em todas as primeiras páginas dos jornais do país.

E, na verdade, é isso o que é este gol mil de Romário: uma forma de chegar às manchetes, um ótimo trabalho de assessoria de imprensa.

Todos gostamos de Romário, todos temos carinho e admiração por ele, mas daí a aceitar que ele está fazendo mil gols há uma grande distância. É ser muito condescendente, complacente, frouxo.

(Para ler o resto do texto de hoje na Folha, uolistas e folhistas podem clicar aqui.)

Por Torero às 06h01

28/03/2007

Santos 2 x 1 Corinthians

Acabo de chegar da Vila Belmiro, onde vi Santos x Corinthians.

O Santos começou muito bem e o Corinthians estava um tanto apático, como se estivesse certo da derrota.

Mas aos poucos o time do Parque São Jorge foi se animando. Porém, ironias do futebol, quando mais partia para cima do Santos, sofreu um gol num contra-ataque. Tiuí fez um belo lançamento (quem diria?) para Zé Roberto, e este acertou um belo chute (quem não diria?) na saída de Jean.

Com o gol, o Corinthians acordou e o Santos relaxou. Resultado: empate. E com um gol contra de Adaílton, depois de Willian passar com facilidade por Antonio Carlos (que continua pior que seus reservas). Aliás, este Willian merece mesmo ser o novo xodó da Fiel. O cara tem garra e talento, duas qualidades que raramente andam juntas, ainda mais no atual time corintiano. 

Depois do empate, o jogo ficou equilibrado até a expulsão de Amoroso, aos 40 minutos.

No segundo tempo, o domínio era santista, mas o time não tinha poder de penetração (que falta faz um bom centroavante!) e não criava grandes chances.

Com a expulsão de Gustavo, aí sim, era questão de tempo.

Jonas (que fez o torcedor ao meu lado pedir a volta de Tiuí) perdeu dois gols, mas acertou na terceira chance.

Com dois a um no placar, o Santos só tocou a bola e esperou o apito do juiz (que por sinal foi bem mal).

O resumo, para mim, é que o Santos é um time com excesso de neurônio: com um bom toque de bola, mas sem aquela fagulha de loucura que faz os campeões. Por ora, está dando certo. Vamos ver se continua assim nas semifinais.

Por outro lado, o Corinthians é hoje uma equipe média. Mas o clube já teve várias equipes médias vitoriosas. Não é o caso desta, e acho que lhe falta o que as outras tinham: gana, garra, desejo de vencer. Você não vê os jogadores babando, com os pulmões quase explodindo. É claro que eles se esforçam, mas o não é mais uma questão de vida ou morte. Mesmo a torcida corintiana já foi mais empolgada. Houve partidas na Vila Belmiro em que a Fiel, mesmo em menor número, era mais presente que a torcida santista. Nesse jogo não foi assim.

 

PS: Já perto do fim da partida, quando o resultado já estava sacramentado, a torcida gritou: "Fica, Leão!, Fica, Leão!". A torcida santista, é claro.

Por Torero às 23h42

Patrocínio na bandeirinha

Caros leitores, recebi um release que me deixou com a pulga atrás da orelha, e coloco-o aqui para vosso sábio julgamento:


"UMBRO APOSTA NAS PROFISSIONAIS DO FUTEBOL E FIRMA PATROCÍNIO COM BANDEIRA ANA PAULA OLIVEIRA

"É primeira vez que a marca inglesa faz acordo com profissional de arbitragem.

"Enquanto os comentaristas de futebol e os torcedores de alguns times paulistas discutem se uma mulher deve ou não apitar no futebol, a assistente de arbitragem Ana Paula Oliveira prova que não só apita como também dita moda dentro e fora dos gramados.

"A bandeira mais famosa do Brasil é a 4ª melhor no ranking da Federação Paulista de Futebol (FPF) de Árbitros Assistentes e conquista cada vez mais sucesso e notoriedade em sua trajetória de oito anos na profissão, vislumbrando até a possibilidade de ser convocada pela FIFA para atuar na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

"Com todos estes argumentos, além da beleza, Ana Paula da Silva Oliveira foi escolhida pela Umbro para ser a primeira patrocinada da marca na área de arbitragem. Em todo o mundo, a marca inglesa aposta pela primeira vez neste filão. "A inserção de Ana Paula no mundo do futebol sintetiza conceitos de modernidade e inovação. Em um esporte dominado por homens, a ala masculina se rende à inegável qualidade técnica, competência e simpatia de uma mulher. (...)

"Com contrato válido de março até dezembro de 2007, a campineira de 28 anos vai usar dentro de campo munhequeira Umbro e chuteira X-Boot II, feita com tecido de tecnologia X-Static (...). Fora dos jogos de futebol, em suas aparições públicas, como nos programas de TV, Ana Paula já está usando peças de diversas linhas da marca como England, baseada na Seleção Inglesa; Black Leopards, coleção desenvolvida para ajudar a comunidade carente da província de Limpopo, na África do Sul, e Football Culture, a linha casual da empresa.

"O investimento em contratos individuais com mulheres relacionadas ao futebol começou com a contratação da jogadora da Seleção Inglesa Rachel Yankey, que joga no Arsenal. Times de futebol feminino também recebem apoio da UMBRO como a Seleção Inglesa, a Seleção da Suécia, o Pinheiros (SP) e o Santos (SP), que conquistou neste final de semana o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino."


Agora eu vos pergunto, leitores e leitoras, pode uma bandeirinha ser patrocinada? Caso ela decida algo a favor de um clube que vista uniformes da Umbro, não ficará a suspeita de um favorecimento, mesmo que inconsciente? Ou estou sendo muito xiita? O que vocês acham?

 

 

Por Torero às 06h34

26/03/2007

Os velhos matadores

Eles já viram o mundo e voltaram para sua terra. Muito já têm alguns cabelos brancos ou largas entradas (mas sempre se pode raspar careca). Suas peles, queimada pelo sol das tardes de domingo, já não têm o viço de antigamente. E alguns não possuem a mesma velocidade. Afinal, estão por volta, ou além, dos trinta anos. Porém, o tempo tem suas vantagens. Eles não se desesperam na hora de dar o tiro certeiro. Não tremem. Não têm medo ou piedade. Eles são matadores profissionais.

Pesquisando sobre os artilheiros dos estaduais, vi que em quase todos os principais campeonatos do país, eles estão por volta dos trinta anos.

Em São Paulo, por exemplo, o pistoleiro que mais vezes alvejou os adversários foi Somália (também conhecido como Wanderson de Paula Sabino), que fará trinta anos daqui a poucos meses. Somália tem dez marcas em sua chuteira. E trata-se de uma chuteira rodada. Ela já esteve na Eslovênia, na Holanda e na Coréia. Sem falar nos times brasileiros.

Em Minas, quem dá as cartas é Araújo, do Cruzeiro, aquele que fez muito sucesso pelo Goiás. Só para lembrar, Araújo foi eleito o maior artilheiro do mundo pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), com 33 gols marcados pelo Gamba Osaka no campeonato japonês. Ele nasceu como ponta-direita, mas transformou-se num atacante moderno, que dribla e chuta bem. E ainda corre bastante. Clemerson de Araújo é outro que fará trinta anos nos próximos meses.

No Paraná há quatro artilheiros empatados em primeiro lugar. O mais famoso é Alex Mineiro (batizado como Alexander Pereira Cardoso), que fez 32 anos no último dia 15. Alex é outro que já rodou o mundo. Passou pelo Tigres, do México, e pelo Kashima Antlers, do Japão. Sem falar nos Atléticos mineiro e paranaense, em Bahia, Vitória, Cruzeiro, União Barbarense e América-MG.

O velho Marcelo Ramos é quem domina em Pernambuco. Já com a chamada “idade de Cristo”, Marcelo está em seu décimo-terceiro clube. Passou por Holanda, Japão e Colômbia. Algumas vezes fez sucesso, outras vezes passou em branco, como no Palmeiras. Mas no Santa Cruz está bem e, mesmo que o clube ocupe uma posição intermediária, é ele quem está na ponta da lista dos artilheiros.

No Rio de Janeiro há dois artilheiros. Um é Leandro Amaral, outro nascido em 77. Ele despontou na Portuguesa e parecia ser um artilheiro nato. Foi para a Fiorentina, passou pelo trio de ferro, esteve no Grêmio, no Ituano e num timeco da França (o Istres). Em nenhum destes fez campanha memorável. Só agora, no Vasco, já balzaquiano, é que se reencontrou com o gol.

E, ao seu lado, no campo e na tabela de artilheiros, joga o maior dos velhos matadores. Com trinta e onze anos, Romário é o sinônimo de matador. Foi artilheiro do Brasileiro com 39 anos e ainda hoje dá seus tiros certeiros com raro estilo e inigualável eficiência.

No atual estágio do futebol nacional, no qual os craques vão embora mal largam a mamadeira, quem faz a alegria da torcida são os trintões, os artilheiros experientes com suas canelas calejadas.

Vida longa aos velhos matadores!

Por Torero às 08h50

Copa dos Pesadelos, o resumo

Aqui, do seu lado esquerdo, em “Mais Torero”, o leitor vai encontrar um resumo da Copa dos Pesadelos em Power Point. Ele traz as escalções e a descrição dos jgos, tudo bem organizado. Foi feito pelo leitor Jackson Bezerra e serve para matar a saudade (caso alguém a tenha) do pior campeonato de todos os tempos. 

Por Torero às 08h49

25/03/2007

Seleções nada seletas

Seleções nada seletas

No "Sempre aos domingos" de hoje, publico as seleções enviadas pelos leitores Rafael Fillipe e Maurício Vargas, que deram-se ao trabalho (provavelmente em longas horas de ócio) de criar algumas escalações inusitadas:


SELEÇÃO DE JOGADORES DE UM JOGO SÓ

Goleiro: Albérico (Fortaleza) – São Paulo 1x1 Fortaleza (Campeonato Brasileiro 2006). Fechou o gol e defendeu um pênalti de Rogério Ceni

Lateral-direito: Ceará (Internacional) – Internacional 1x0 Barcelona (Mundial Interclubes 2006). Anulou Ronaldinho Gaúcho.

Zagueiros: Materazzi (Itália) – Itália 1x1 França (Final da Copa 2006). Marcou o gol de empate da Itália e ainda forçou a expulsão de Zidane; Desábato (Quilmes) – São Paulo 3x1 Quilmes (Libertadores 2005). Xingou o Grafite e ganhou os jornais do mundo todo.

Lateral-esquerdo: Josimar (improvisado) – Copa de 1986. Marcou dois golaços, mas depois...

Meias: Kleberson (Atlético-PR) – Brasil 2x0 Alemanha (Final da Copa de 2002). Arrebentou. Acertou o travessão e iniciou a jogada do segundo gol; Aílton (Grêmio) – Final do Brasileiro de 96 contra a Portuguesa. Marcou aquele golaço do título, no fim do jogo; Geovani (Cruzeiro) – Final da Copa do Brasil de 2000 contra o São Paulo. Fez o gol da final, foi para o Barcelona e...

Atacantes: Léo (Guarani) – Corinthians 1 x 3 Guarani (Pacaembu). Marcou dois gols e, em um deles, chapelou o zagueiro Batata; Adhemar (São Caetano) – Fluminense 0x1 São Caetano (Copa JH 2000). Só não fez chover no Maracanã. Marcou o gol da vitória de falta; Salenko (Rússia) – Rússia 6x1 Camarões (Copa de 94). Marcou cinco gols neste jogo e foi artilheiro da Copa.

 

SELEÇÃO DO "FUTEBOL BÊNÇÃO"

Doni (joga na Roma); Beletti (já jogou no São Paulo, no Atlético-MG, e está no Barcelona), Bordon (jogou no São Paulo e está no líder do Campeonato Alemão), Cris (jogou no Corinthians, foi da Seleção e está no Lyon) e Maxwell (joga na Inter de Milan); Thiago Motta (titular absoluto do Barcelona), Julio Batista (já jogou no São Paulo, no Real Madrid e Arsenal), Taddei (jogou no Palmeiras e está na Roma) e Danilo (jogou no São Paulo e foi Campeão do Mundo); Caio (jogou no São Paulo, no Flamengo, no Grêmio, no Botafogo, no Santos e na Inter de Milan) e Sonny Anderson (Jogou no PSG, na Seleção e no Barcelona).

 

SELEÇÃO DOS "BIXADOS"

Marcos; Maurinho, André Cruz, Edmílson e André Luiz; Fernando Redondo, Pedrinho e Dagoberto; Nilmar e Luizão.

 

SELEÇÃO DOS "ETERNAS PROMESSAS"

Fábio; Evanílson, Emerson, César e Fábio Aurélio; Fábio Rochemback, Kleberson, Adrianinho e Rodrigo Fabri; Sávio e Denílson.

 

SELEÇÃO DOS EX-JOGADORES EM ATIVIDADE

Clemer; Cafu, Antonio Carlos, Junior Baiano e Roberto Carlos; Galeano, Djair, Petkovic e Sérgio Manoel; Sorato e Romário.

Por Torero às 07h01

22/03/2007

Ah, amado amante!

Fiel leitor, leal leitora, eis um fato incontestável: há jogadores que nasceram com vocação para amantes. Não, não estou falando que eles nasceram para o adultério, para os encontros furtivos com mulheres casadas em motéis de cortinas lilases e abajures vermelhos. Explico melhor: o jogador-amante é aquele reserva que só entra na partida de vez em quando, mas aí põe fogo no time.

Vários ficaram famosos por seguir este roteiro: entravam no segundo tempo e, diante de marcadores exaustos, nos maravilhavam com gols acrobáticos e jogadas galantes. Naqueles poucos instantes, o jogador-amante mostra um desempenho físico exuberante, faz jogadas diferentes, penetrações imprevisíveis, surpreende. Quantas vezes a vitória não veio de seus pés ágeis e de seus chutes certeiros?

(Este é o início do texto publicado hoje na Folha de S.Paulo. Uolistas e folhistas podem ler o resto clicando aqui.)

Por Torero às 10h01

19/03/2007

Penetras invadem os estaduais

Alguma coisa está fora da ordem, fora da velha ordem nacional. E é o futebol.

Há vários penetras espalhados pelos campeonatos estaduais. E chamo de penetras aqueles times que não são os eternos favoritos, mas que estão beliscando uma vaga nas finais.

Em São Paulo, por exemplo, temos o trio Noroeste, São Caetano e Paulista, que provavelmente vai roubar uma ou duas vagas dos quatro grandes.

No campeonato fluminense, há algum tempo os pequenos já vêm incomodando. Na final da Taça Guanabara (que equivale ao primeiro turno), o Flamengo chegou a perder a primeira partida para o simpático Madureira. O mesmo Madureira que, no ano passado, definiu o título com o Botafogo. 

No Gaúcho, o Juventude e o Ulbra lideram o grupo 1, deixando o Inter (que ainda sofre um pouco com a ressaca do Mundial) sete pontos atrás, apenas em terceiro lugar e empatado com o Guarany.

No embolado Campeonato Mineiro, os grandes lideram mas sem margem folgada. O vice-líder Atlético está apenas um ponto à frente do quinto colocado, e classificam-se apenas quatro para a próxima fase. Lá, quem sofre mesmo é o ex-grande América, que está em último lugar e só por um milagre escapa do rebaixamento.

Na Bahia (onde lideram Vitória e Bahia) já tivemos um penetra campeão no ano passado: o Colo-Colo, de Ilhéus. Mas este ano ele está em último lugar e corre sério risco de rebaixamento. Isso é outro fato comum entre os penetras: eles têm um momento de glória, mas logo depois voltam para a penumbra.

Pernambuco é uma exceção. O Sport ganhou o primeiro turno e vem liderando o segundo. Mas Náutico (que voltou à Séria A do Brasileiro) e Santa Cruz (que voltou à Série B) vão mal. Estão em quinto e sexto lugares. E, no primeiro turno, foi o Porto, de Caruaru, que ficou em segundo lugar.

No Paraná, o Adap está na frente do Atlético, o Cianorte na frente do Coritiba e o Paranavaí na frente do Paraná. Ou seja, os grandes e os pequenos estão entranhados, disputando o campeonato palmo a palmo.

Nesses penetras é que está a graça dos estaduais. Eles são a surpresa, a novidade, o diferente. São esses Davis que dão aos estaduais um charme especial, são eles que nos fazem acreditar que os pequenos têm chance de vencer os poderosos.

 

Por Torero às 07h40

15/03/2007

Texto de hoje na Folha

Caro atleta ludopédico, o texto de hoje é para você. Sim, para você que luta para se manter como titular, para você que luta para ficar entre os 11 que entram em campo, para você que não agüenta mais sentar no banco de reservas, aquele que, mesmo quando revestido da melhor espuma, mais parece uma cadeira de espinhos.

E o que é preciso para ficar entre os titulares? É preciso talento, dedicação e, mais que tudo, puxar o saco do técnico. Sim, meus caros futebolistas, há que ser puxa-saco, adulador, capacho, lambe-esporas, turibulário e xexeléu. Há que puxar o saco dos técnicos de forma contundente e marcante, mas com certa delicadeza. Como? É isso que lhe direi agora.

(Para ler o resto do texto, uolistas e folhistas podem clicar aqui)

Por Torero às 06h51

14/03/2007

Copa dos Pesadelos: finalmente a final!

A final da Copa dos Pesadelos encerrou a competição com chave de lata. Foi uma verdadeira demonstração de futebol-desastre.

Como tivemos uma noite de gala, várias celebridades foram vistas nas arquibancadas: Chuck Norris disse que apreciava muito o estilo de Maurício Copertino, Osama Bin Laden comentou que está interessado no passe de Coicito e o presidente do Irã reclamou: "Se o Júnior Baiano pode jogar futebol por que eu não posso ter uma bomba atômica?"

Um grande público compareceu ao estádio. Do lado direito das arquibancadas ficou a Flamasoca, uma torcida de masoquistas flamenguistas, e no lado esquerdo ficaram os envergonhados santistas, usando sacos na cabeça para não serem reconhecidos.

Os mais nobres órgãos da imprensa esportiva estiveram presentes, com destaque para as câmeras do Canal Sem, que ficaram em volta do campo para gravar os piores momentos. Na cabine da Globo, dois desfalques: Falcão e Casagrande se negaram a comentar um jogo tão ruim. Galvão Bueno teve que trabalhar com Deivid e Ataliba mesmo.

Antes da partida, os jogadores demonstravam seu otimismo nas entrevistas. Baez asseverou: “La garantia soy yo! El problema es que no sé quien soy.” E Zé Romário falou: "Quando eu nasci, Deus apontou para mim e disse: 'Quem é esse aí?'”

Os jogadores de ambas as equipes entram em campo de mãos dadas. “Não estão de mãos dadas...”, explica um repórter, “Estão acorrentados! Queriam fugir e não disputar a partida!”.

Para grande comoção dos espectadores, antes de o jogo começar foi tocado o hino nacional (no Motorádio de Nelsinho Baptista).

O trio de arbitragem foi formado pelo artilheiro José de Assis Aragão, pelo matemático Armando Marques e pelo bicampeão Márcio Rezende de Freitas.

0´: É respeitado um minuto de silêncio, em memória dos torcedores dessas equipes que tanto sofreram com esses times no decorrer dos anos

0´01”: Júnior Baiano dá o pontapé inicial. Em Demétrius.

2’: A torcida do Santos grita “Peeeeixe!”. Gilberto olha para todos os lados e pergunta “Onde, onde? Eu quero um frito com limãozinho!"

5': Pênalti para o Flamengo. Depois de Camilo colocar a mão na bola dentro da área, Dill chuta o chão e arranca um tufo do gramado. A bola vai para as arquibancadas, mas o tufo de grama entra no ângulo direito do goleiro. Que lindo!

12’: Gilberto vai bater o tiro-de-meta para o Santos e é escanteio para o Flamengo.

13’: Escanteio cobrado pelo Flamengo e é tiro de meta para o Santos

18’: Serginho Fraldinha entra na área mas, quando vai chutar, Júnior Baiano arranca violentamente sua fralda. Pênalti! E atentado ao pudor. Marcelo Fernandes bate e erra.

23': Vampeta finalmente sobe ao gramado.

24': Vampeta volta ao vestiário, pois esqueceu sua rede lá.

27´: Gilberto engole um frango, com farofa de banana.

30': Negreiros finta para um lado, finta para o outro, fica tonto e cai.

35": Baez chuta uma bomba na trave.

35'01": A bola rebate na cara de Baez e volta na trave.

35'02": A bola rebate na cara de Baez e volta na trave.

35'03”: A bola rebate na cara de Baez e volta na trave.

35’04”: Júnior Baiano, irritado, dá um carrinho em Baez e acaba com esta história. É Pênalti. Demétrius bate e erra.

40’: Incrível talento rubro-negro! Zé Romário tá lento, Júnior Baiano tá lento, Vampeta tá lento, Dill tá lento, Negreiros tá lento...

44´: Ninguém se entende no ataque do Santos. Maezono fala japonês, Baez habla espanhol e Serginho faz "gugu-dadá".

45’: O juiz termina o 1º tempo, graças a Deus

No intervalo, George W. Bush diz que, se a FIFA não proibir Junior Baiano de jogar futebol, ele irá atacar o Brasil, pois o zagueiro é uma potencial arma de destruição em massa e ele invadiu o Iraque por muito menos.

46´: Recomeça a partida. No primeiro lance, Kobayashi invade a área, dribla o goleiro mas, quando vai marcar, saca uma máquina fotográfica para tirar foto do lance. A defesa flamenguista se aproveita e recupera a bola.

49’: Chapéu (involuntário) de Demétrius em Júnior Baiano!

50’: Pontapé (voluntário) de Júnior Baiano em Demétrius

51': Vampeta volta para o segundo tempo e fica imaginando um bom lugar para colocar a rede.

52’: Desentendimento na cabine da Globo! Galvão reclama que, como Ataliba e Deivid são gagos, os comentários demoram muito e sobra pouco tempo para ele.

53´: Pênalti para o Flamengo. Dill, após errar 18 cobranças nesta Copa, deixa para Vampeta bater. Ele corre para a bola e, antes de chutar, dá a famosa paradinha. Paradinha no bar para comer um acarajé. Quando volta, manda a bola para fora.

61´: Negreiros tenta dominar a bola, mas não consegue e reclama da bola.

62´: Negreiros tenta dominar a bola, mas não consegue e reclama do gramado.

63´: Negreiros tenta dominar a bola, mas não consegue e a torcida reclama do técnico por tê-lo escalado.

69’: Momento do trocadilho: Jorginho tenta o toque profundo até encontrar o Dill, que incomoda bastante pelo meio.

73’: Reginaldo Araújo tenta jogar nas costas de Cássio, mas o lateral-esquerdo flamenguista não agüenta o peso do santista e ambos se estatelam no gramado.

74’: Vampeta troca as chuteiras. Por um chinelo.

81’: Vampeta pede a entrada dos massagistas do Flamengo. Ele tira a camisa e o calção, enrola uma toalha na cintura, deita-se no chão e pede uma massoterapia.

82’: O Flamengo é todo ataque, mas o ataque é todo ruim. O zero a zero persiste no placar.

89’: Junior Baiano dá uma tesourada em Serginho Fraldinha e é expulso pelo juiz (de menores). É pênalti para o Santos.

89’30: Maezono bate, mas, quem diria?, Zé Romário defende. Os jogadores do Flamengo pulam em cima do goleiro para comemorar a defesa e caem todos dentro do gol. GOOOOL! Do Santos! E é o primeiro gol contra coletivo da história.

90': Termina o jogo! O Santos ganha e o Flamengo é campeão!

Galvão Bueno grita “Acaboooou, acaboooou!” Deivid e Ataliba comentam: “A-a-a..., deixa pra lá.”

Há uma grande comemoração no gramado. Vampeta dá cambalhotas, o capitão Júnior Baiano ergue o troféu (um Íbis de ouro) e os jogadores são levados nos braços pela torcida (levados para fora de campo, para nunca mais voltarem).

Há festa no Rio pela conquista, festa em Santos pela vitória, festa em todo o pais porque é o fim da Copa dos Pesadelos.

Mas eis que surge Luiz Zveiter, com uma liminar na mão, e diz: "Esse torneio está contaminado. Vão ter que jogar tudo de novo".

Então algo sobrenatural acontece: a grama cresce e segura Zveiter pelos pés, as balizas andam em sua direção e o prendem com suas redes, e as bolas chocam-se contra ele impiedosamente. Depois, do meio das nuvens, uma voz tonitroante brada: “Copa dos Pesadelos, nunca mais!”

E Deus ganha o Motorádio.

 

(Post scriptum: Foram 3272 votos, a maior votação já feita nesta blog, e o Flamengo ganhou por 50,34% a 49,66% dos votos, a vitória mais apertada de toda a Copa dos Pesadelos.) 

(Post post scriptum: Os livros vão para Marcos Mattos, que foi o primeiro a fazer um comentário sobre esta final, e outro para Filipe Lima, autor da infame frase de Zé Romário: "Quando eu nasci, Deus apontou para mim e disse: 'Quem é esse aí?'”.)

 

Por Torero às 09h36

13/03/2007

Flamengo e Santos disputam cabeça a cabeça (de bagre)

O jogo está disputadíssimo. No começo, lá pelos trinta votos, o Santos liderava.

Quando chegamos aos 260, o Flamengo tinha virado o jogo, e com folga. Passou a ter 60% a 40%.

Nos 500 votos o jogo tinha virado outra vez. Santos 55% a 45%.

Com cerca de 850 sufrágios, o Flamengo passou à frente: 52% a 48%.

Às 11h28 desta terça-feira, com 1502 votos, o Santos recuperou a ponta: 50,67% a 49,33%. 

Mas algumas horas depois, às 15h57, com 2115 eleitores, o Flamengo está novamente em primeiro: 51,06% a 48,94%.

Sem dúvida, a votação tem mais lances emocionantes que a partida.

Por Torero às 06h12

12/03/2007

A final, chuif..., da Copa dos Pesadelos

Até aqui foram 14 jogos, 46 textos, 2026 comentários (incrivelmente criativos) e cerca de 5 mil votos.

Vimos o desfile de jogadores de peso como Volnei Baleia e Marcos Tora, atletas da estatura de um Advaldo NBA, futebolistas imortais como Zumbi e Messias.

Mas tudo o que é ruim acaba e eis que chegamos ao final da nossa Copa dos Pesadelos. Ou melhor, à final.

Sim, porque hoje é dia de Santos x Flamengo! O jogo decidirá quem é o pior de todos os tempos.

Curiosamente, são os mesmos times que decidiram a Copa dos Sonhos. Quem vencerá? O alvinegro da Vila Belmiro ou o rubro-negro da Gávea?

Conseguirá o Santos ser o pior e o melhor de todos os tempos? Pode um mesmo time causar sonhos e pesadelos? Pensando melhor, há algum time que não seja assim?

E o Flamengo, que perdeu a Copa dos Sonhos, ganhará a dos Pesadelos? Ou nem essa? Será o Flamengo um eterno vice (o que não deixa de ser um pesadelo)?

Para refrescar a memória dos leitores coloco aqui as escalações dos dois times (seria melhor uma cerveja, eu sei, mas fazer o quê?):

O Santos, comandado por Nelsinho Baptista, vulgo “7 a 1”, entra em campo com: Gilberto; Reginaldo Araújo, Maurício Copertino, Camilo e Fricson George; Marcelo Fernandes Kobayashi e Maezono; Serginho Fraldinha, Demétrius e Edgar Baez.

O Flamengo, capitaneado por Júlio César Leal, terá estes onze a representá-lo: Zé Romário; Maurinho, Fernando, Júnior Baiano e Cássio; Douglas Silva, Vampeta e Jorginho; Whelliton, Dill e Negreiros.

Nas tribunas de honra estarão os presidentes Miguel Kodja e Edmundo Santos Silva.

Teremos vários duelos inesquecíveis neste jogo:

Quem atrasará mais bolas, Camilo ou Júnior Baiano?

Quem errará mais passes, Reginaldo Araújo ou Maurinho?

Quem perderá mais gols, Dill ou Demétrius?

Quem dará mais bicudas, Fernando ou Copertino?

Quem engolirá mais frangos, Zé Romário ou Gilberto?

Quem finge melhor, Baez (que finge que é outro) ou Vampeta (que finge que joga)? 

Enfim, vote e comente. Coloque os melhores lances, cite as grandes declarações dos jogadores, dê as notas para os atletas, diga para quem vai o Motorádio.

Não economize no verbo! É a final da Copa dos Pesadelos! Ufa!

 


Post scriptum: Como este é o último jogo, farei a apuração dos votos apenas na quarta-feira, dando dois dias aos (e)leitores.

Post post scriptum: Pode ser que um dia eu use os textos desta final. Logo, se você encontrá-lo daqui a alguns anos num livro jogado no canto de um sebo, não me processe, você foi avisado.

Post post post scriptum: Sortearei entre os nobres leitores-comentaristas um livro. Como acabaram os bons exemplares da coleção “O dia em que me tornei...”, terei que recorrer a um de minha própria lavra, e desde já lamento pelo sorteado (ou, no caso, azarado).

Post post post post scriptum: O mais interessante desta Copa dos Pesadelos é que ela foi inventada e alimentada pelos leitores-escritores deste blog. Eu fiquei mais como um organizador. Temos alguma coisa nova aí (pelo menos para mim), alguma coisa que só a internet permite.

Por Torero às 07h52

Santos x São Paulo

Santos e São Paulo fizeram um bom jogo. Não foi excepcional, mas foi bom.

Uma tradução destas equipes são seus laterais, Ilsinho e Kleber. O são-paulino é mais físico, voluntarioso, atlético. O santista tem mais toque de bola, é mais cadenciado, mais lento.

Acho que atualmente o São Paulo é um pouco melhor. Ao Santos falta um atacante eficiente e, na defesa, Antonio Carlos não inspira confiança (ontem cometeu vários pequenos erros e sempre é um tanto violento). Já ao São Paulo falta um toque de brilhantismo. É um time competente e competitivo, mas falta uma pitada de mágica. 

De qualquer forma, são dois dos (talvez “os”) melhores times brasileiros do momento. E provavelmente teremos o tira-teima na final do Paulista (se o Paulista não atrapalhar).

Por Torero às 07h50

11/03/2007

Quiz sobre a Copa dos Pesadelos

O "Sempre aos domingos" de hoje traz um quiz sobre a Copa dos Pesadelos, bolado pelo leitor Carlos Eduardo Souza:

Quiz sobre a Copa dos Pesadelos

Você é fã da Copa dos Pesadelos? Não perde uma partida? Sabe de cor as escalações das equipes? Emociona-se com seu time? Sofre nas vitórias? Alegra-se nas derrotas? Então você não pode deixar de participar do nosso Quiz!

Mostre que você é o Torcedor dos Pesadelos e participe.

1) Quantos acarajés Vampeta comeu até aqui em toda a Copa (contando apenas os jogos disputados pelo Flamengo)?

a) 314
b) 413
c) 677
d) 766

2) Quem foi o jogador mais pesado dessa Copa até aqui?

a) Marcos Tora (Paraná Clube)
b) Volnei Baleia (Bahia)
c) Gilberto (Santos)
d) Sierra (São Paulo)

3) Quem é mais trava-língua?

a) Kanapkis (Atlético Mineiro)
b) Bandelack (Cruzeiro)
c) Gralak (Corinthians)
d) Fricson George (Santos)

4) Quem foi o jogador mais índio dessa Copa?

a) Guaru (Bahia)
b) Embu (Corinthians)
c) Bizu (Sport Recife/Palmeiras)
d) Curê (Atlético Mineiro)

5) Quem é o jogador que tem o nome mais original?

a) Dill (Flamengo/São Paulo)
b) Táxi (Goiás)
c) Disco (Sport Recife)
d) Pires (Fluminense)
e) Maizena (Cruzeiro/Internacional)
f) Viola (Bahia)

6) Qual duelo foi mais emocionante na 1ª fase da Copa?

a) A disputa de pênalti entre Ricardo Pinto e Dill, no Fla-Flu, de 09/02/2007
b) As faltas de Cocito em Cleitão, e vice-versa, no Gre-Nal, de 13/02/2007
c) A marcação de Kanapkis em Bandelack durante um escanteio no Cruzeiro e Atlético, de 15/02/2007
d) O encontro dos laterais Eduardo Cachaça e Cafezinho no Botafogo e Vasco, de 16/02/2007

7) Qual foi o animal mais jogador dessa Copa? Ops – desculpe! - o jogador mais animal candidatíssimo à mascote da Copa?

a) Sérgio Lobo (Fluminense)
b) Gato Fernandez, Palmeiras
c) Volnei Baleia (Bahia)
d) Valdomiro Vaca Braba (Bahia)

8) Dos monossílabos abaixo, qual se destacou mais nesta Copa?

a) Dill (Flamengo/São Paulo)
b) Nem (São Paulo)
c) Tim (Internacional)

9) Pela equipe do Paraná Clube, qual jogador, em sua opinião, viajou mais para disputar essa Copa?

a) Luis Carlos ET, que veio do espaço
b) Zumbi, que veio do inferno
c) Messias, que veio do céu

10) Qual foi o goleiro gringo mais nonsense da Copa?

a) Tadic (Vasco)
b) Tavarelli (Grêmio)
c) Gato Fernandez (Palmeiras)
d) Johnny Herrera (Corinthians)

11) Quem foi mais grosso?

a) Cocito (Grêmio)
b) Célio Silva (Goiás)
c) Argel (Cruzeiro)
d) Júnior Baiano (Flamengo)

12) Quem foi mais mandrake?

a) Edgar Baez (Santos)
b) Bebeto (Vasco)
c) Maurinho (Flamengo)
d) Tapia (Cruzeiro)
e) Sierra (São Paulo)
f) Pirata (Goiás)

13) Quem é o jogador mais famoso?

a) Axel “Rose”, o meio-campo-vocalista-do-Guns N’ Roses sãopaulino
b) Tavarelli, o Horácio-da-Turma-da-Mônica gremista
c) Zé Romário, o goleiro-Baixinho-Em-Busca-Do-Gol-Mil flamenguista
d) Fábio Júnior, o centroavante-cantor vascaíno
e) Wando, o atacante-colecionador-de-calcinhas goiano

14) Qual dos jogadores abaixo não passou no teste do pezinho?

a) “El Loco” Abreu (Grêmio)
b) Mongol (Botafogo)
c) Val Pilar (Sport Recife)
d) Paulão (São Paulo)

15) Num lançamento em profundidade, quem chega primeiro?

a) Bruno “Devagar Devagarinho” (Grêmio)
b) Bruno “Quadro a Quadro” (Cruzeiro)
c) Uma preguiça baiana
d) Uma lesma num caminho de sal

16) A jogada não aconteceu (graças a Deus!), mas, em sua opinião, numa dividida entre Júnior Baiano e Argel, o que teríamos?

a) Um cataclismo
b) Uma bomba de destruição em massa
c) Um suco de bola
d) Um novo jogador: o Júnior Argeliano

17) Dê sua opinião: sem a sua prancheta, Joel Santana seria o quê?

a) Quem?
b) Um Zé Ninguém
c) Sogro do Alex Guimarães
d) Nem isto

18) Qual é o amuleto da sorte de Nelsinho Baptista:

a) Um álbum de fotografias do ano de 1971, que marcou muito sua vida
b) Uma medalhinha na carteira com o apelido de “um sete um” que ele tinha na escola
c) Uma tatuagem na nádega esquerda com o Salmo 71 que diz: “Sou para muitos um assombro...”
d) Uma câmera digital de 7.1 megapixels
e) Uma TV de 71” que ele tem na sala de sua casa

19) Qual desses jogadores vai deixar mais saudade em você depois da Copa?

a)
b)
c)
d)

20) Ache o valor de “X”:

 (Gols contra de Júnior Baiano) + (Gols tomados por Alencar) x (Dúvidas de Edgar Baez)
 ----------------------------------------------------------------------------------------------- = X
 (Cartões vermelhos de Galeano) + (Carrinhos de Cocito) x (Pênaltis perdidos por Dill)2

 

Por Torero às 04h11

Uai-2

O leitor Rodrigo Resende, que ganhou um livro com seu trocadilho entre Acioli e "Assim, olhe", ao mandar-me seu endereço mandou-me também o endereço de seu blog, que conta as últimas da segunda divisão mineira.

Quem quiser saber notícias da Uai-2, é só clicar aqui

Por Torero às 03h59

10/03/2007

O que é inacreditável, tem que ver para crer

Estreou ontem, em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, o longa-metragem “Inacreditável – A batalha dos Aflitos”, que conta a aventura do Grêmio na Série B do Campeonato Brasileiro.

O documentário dirigido por Beto Souza fala especialmente do jogo final entre Náutico e Grêmio, quando, a poucos minutos do final, o Grêmio tinha apenas 7 jogadores em campo e um pênalti contra si. Estava zero a zero e, se o Grêmio perdesse, continuaria na segunda divisão. Mas o goleiro defende o pênalti e Anderson, em seu último jogo pelo time, faz o gol da vitória. Uma história que realmente merece um filme para contá-la.

Para os gremistas, trata-se de um filme obrigatório. Neste fim de semana, em vez de ver Grêmio x São Luiz, as torcidas deveriam encher os cinemas. E fazer uma avalanche quando acontece o gol tricolor.

Mas o filme não é só sobre o jogo final, e mostra que houve vários momentos decisivos já na fase classificatória. Esta parte aquece o torcedor-espectador para o que virá depois.

“Inacreditável” tem montagem competente e boas entrevistas. Só achei que houve um certo descompasso entre o texto da narração e o narrador, que poderia ser mais bem humorado (como sugerido pelo texto de Eduardo Bueno, roteirista do filme).

Quem quiser saber mais, clique aqui para ir ao site do filme.

Por Torero às 12h04

09/03/2007

Copa dos Pesadelos: Santos 3 x 3 Bahia

Uma surpresa na Copa dos Pesadelos! A torcida do Bahia compareceu em peso (não tanto peso quanto o do Volnei Baleia, claro) para apoiar o time e lotou o estádio. Um torcedor explicou o motivo: "Por pior que seja esse time, ainda é melhor que a equipe atual!"

Já a torcida santista aplaudiu de pé a entrada de Volnei Baleia, pensando que era o seu mascote.

Vamos ao jogo:

0': Galeano dá o pontapé inicial da partida. Em Edgar Baez.

5’: Kobayashi perde um gol.

6’: Maezono perde um gol.

7’: A torcida, pensando no novo patrocinador do Santos e olhando para a performance de Maezono e Kobayashi, cria o slogan: "Nossos japoneses são piores que os outros".

11’: O Bahia ataca. Mas Volnei Baleia atraca.

12’: O jogo fica interrompido por três minutos, até que os jogadores finalmente encontram o alfinete que prendia a fralda de Serginho.

22': Volnei Baleia e Viola, sentados no círculo central, conversam: "Violinha, você sabe se o Departamento Médico tem remédio pra picada de cobra?". "Por que, meu fio?". “É que eu tô vendo uma cobra lá atrás do gol e acho que ela tá vindo na minha direção e vai me picá..."

30’: NBA faz marcação por zona.

32': Demétrius dá o drible da vaca em Valdomiro. Valdomiro fica possesso e sai correndo atrás de Demétrius, tentando acertar-lhe um pontapé. Valdomiro é retirado de campo. Suspeita-se que esteja com o Mal da Vaca Louca.

35’: NBA faz marcação por zona aérea.

37’: Baez vaga pelo campo murmurando: “Quem sou eu: um ex-Baez, um não-Baez, um Desbaez? Quem sou eu?”

40’: NBA faz marcação na zona. Na zona que está a grande área do Bahia.

41’: GOOOOOL! Serginho Fraldinha entra engatinhando na área e marca. Santos 1 a 0.

42’: A torcida santista grita: “Mais um, mais um, mais um!” e o japonês explica: “Non é Maizum! É Maezono, né!”.

45’: Volnei tenta um volneio, digo, voleio, e fura. Sua queda provoca um abalo sísmico de 7 graus na escala Richter. Serginho Fraldinha molha seu apelido e todos os jogadores correm desesperadamente (menos Kobayashi e Maezono, que colocam um capacete amarelo e caminham em fila calmamente para fora do estádio). O juiz encerra o primeiro tempo.

46': O jogo recomeça e Kobayashi perde um gol.

47’: Kobayashi perde mais um gol.

48’: Kobayashi perde mais um gol.

49’: Kobayashi perde mais um gol.

50’: Kobayashi perde mais um gol! Humilhado, tenta um haraquiri para manter sua honra, mas é contido pelos torcedores (do Bahia).

57’: GOOOOOL! É o empate do Bahia! Gilberto tenta defender um chute de mão trocada, mas esquece com qual mão começou a defesa, se embaralha todo, e a bola entra.

58’: Nelsinho Baptista reclama com Gilberto: “Que frango, hein Gilberto?!”. O goleiro responde: “Frango? Onde, onde? Me dá dois!”

69’: Minuto do trocadilho: Viola cai na área e pede pênalti. Trata-se de um autêntico choro de viola.

70’: Volnei Baleia tenta sua única arrancada no jogo ao ver um vendedor de cachorro quente atrás do gol. Mas desiste no meio.

72’: GOOOOOL! Do Santos! Reginaldo Araújo tenta acertar um torcedor na arquibancada que não pára de xingá-lo. Erra tanto que marca um golaço. Santos 2 a 1.

80’: CEEEEEESTA! NBA recebe a bola na entrada da grande área e, mesmo com a marcação de Camilo, marca. De “chuá”! Bahia 2 x 2 Santos.

86’: Demétrius vai marcar, mas NBA dá um toco e impede o gol do Santos. O árbitro apita penalidade máxima.

87’: Reginaldo Araújo perde o pênalti e finalmente acerta aquele torcedor na arquibancada que não parava de xingá-lo.

89’: Há duas bolas em campo, mas o jogo segue.

89’30”: O  Bahia  vai  para o ataque. O Santos também. Cada um com uma bola. O juiz olha pra um lado, olha pro outro.

89’40”: Lançamento para Viola. Passe em profundidade para Demétrius.

89’50”: É Viola e Gilberto! É Demétrius e Alex Guimarães! Olha o gol... Olha o gol...

90’: GOOOOLLLLSSSS! Do Bahia e do Santos! O jogo termina em 3 a 3. Vamos para os pênaltis.

Pênaltis: Obviamente, nenhum time acerta uma de suas cinco penalidades. Mas, então, nas alternadas, o Acioli ensina: é "Assim Olhe" e converte.

O Bahia vence e está fora da Copa. O Motorádio vai para Nelsinho Baptista, a fim de consolá-lo por não ter perdido de sete desta vez.

A final da Copa dos Pesadelos será entre Santos e Flamengo, por uma absurda coincidência, a mesma final da Copa dos Sonhos (a votação foi encerrada às 9h19, com 338 votos: 55,33% para o Santos e 44,67% para o Bahia).

E, como esta é uma competição que premia os piores, o livro “O dia em que me tornei santista”, de Vladir Lemos, vai para Rodrigo Resende, que fez a mais infame piada do dia, o trocadilho da decisão dos pênaltis, entre Acioli e “Assim Olhe”. Sem dúvida, um gracejo digno da Copa dos Pesadelos.

Por Torero às 08h43

08/03/2007

Dia de samba na Copa dos Pesadelos

Sim, hoje é dia de samba! Ou melhor, San-Bah! É o nome que inventei (ruim, eu sei) para o clássico entre Santos e Bahia. Qual dos dois enfrentará o Flamengo? O Santos que passou por São Paulo e Vasco, ou o Bahia que perdeu do Sport e do Corinthians?

É, caros leitores, vejam como são as coisas, os dois times que decidiram o primeiro campeonato nacional, a Taça Brasil de 1959, agora se enfrentam pela semifinal da Copa dos Pesadelos. Que decadência..., tsc, tsc...

Como já é de praxe, coloco aqui as escalações das duas equipes:

O Santos vai de Gilberto (que fará um duelo de peso com Volnei Baleia); Reginaldo Araújo, Maurício Copertino, Camilo e Fricson George; no meio, Marcelo Fernandes e a dupla de karaokê Kobayashi e Maezono (se Sugawara fosse o volante deste time, quantos trocadilhos meus leitores-escritores não fariam?); no ataque, Serginho Fraldinha, Demétrius e Edgar Baez (sou ou não sou eu, eis a questão). Técnico: Nelsinho “7 x 1” Baptista.

O Bahia será dirigido por Edinho Nazareth. O time entrará em campo com: Alex Guimarães, Advaldo NBA (o zagueiro que prova que tamanho não é documento), Acioli e Valdomiro Vaca Braba (vamos evitar trocadilhos com toureiros); Jura, Wilson Mano, Galeano, Guaru Corpo Mole e Chiquinho. No ataque, os toneládicos Viola e Volnei Baleia.

Quem perderá e continuará na Copa, o alvinegro ou o tricolor? Quem errará mais, Jura ou Reginaldo Araújo? Viola jogará por música? Demetrius lutará feito um gladiador? Quem estourará a balança, Gilberto ou Volnei Baleia?

Estas e outras respostas você lerá aqui, amanhã, neste mesmo blog-horário, neste mesmo blog-canal.

E não se esqueça: vote e faça seus comentários, que podem ser os piores lances, as frases infelizes depois do jogo ou as notas para os jogadores.

Aliás, um dos comentaristas ganhará o livro “O dia em que me tornei santista”, de Vladir Lemos (livro que provavelmente não deve falar dos onze que entrarão em campo hoje).

Por Torero às 06h59

07/03/2007

Inter e Flamengo fazem jogo de quatro pênaltis e quatro gols.

Meus caros e minhas caríssimas, pela primeira semifinal da Copa dos Pesadelos, Internacional e Flamengo fizeram um grande duelo, um duelo de armas brancas entre Didi Facada e Júnior “Tesoura Voadora”Baiano.

Para este rubroclássico, o Maracanã recebeu um público de 100 torcedores. Eram turistas japoneses que vieram conhecer o estádio.

Infelizmente, mais uma vez um jogo desta Copa começou com atraso. Desta feita porque ninguém conseguia achar Vampeta, que estava tomando uma água de coco e assistindo a uma partida de futevôlei.

Vamos aos lances:

0’: O árbitro José Roberto Wrong dá início ao, digamos, espetáculo.

5': O Inter apresenta uma formação estranha. Didi Facada está no gol, Nilson e Admilson estão nas laterais invertidas, Cleitão e Leandro Guerreiro estão armando e Tonhão e Maizena formam a dupla de ataque. Ao perceber o problema (com 5 minutos de jogo, afinal, a diferença é mínima), Joel Santana esbraveja para o banco "Quem virou minha prancheta ao contrário?"

7’: A zaga do Flamengo toca a bola atrás, levando muito perigo ao gol de Zé Romário.

16’: Fernando põe a mão na bola na área. Pênalti. Didi facada bate pra fora.

17’: Fernando põe a mão na bola na área. Pênalti. Dacroce bate e a bola sai pela lateral.

18’: Fernando põe a mão na bola na área. Pênalti. Júnior Baiano bate contra a própria meta. GOOOOOL! Inter 1 a 0.

21': Tonhão e Cleitão fazem um jogadão. "Driblão" o meio campão do Mengão, "passão" pelo goleirão e "chutão". Gol? Não.

28': Zé Romário bate tiro de meta e acerta o travessão. O seu travessão.

34’: Bate-rebate na área do Inter. É catiripapo pra um lado, sopapo pro outro, um tremendo batebofo-no-caterefofo até que, no meio do bololô, Maizena dá um pum e todo mundo se manda.

36' Vampeta desce para o vestiário, antecipando o intervalo.

38’: Whelliton e Dacroce faziam uma disputa para ver quem soletrava mais rápido o nome do outro.

39’: NA TRAVE! Em cobrança de falta de Jorginho (para longe, para muito longe), Maizena bate a cabeça na trave, que balança até agora.

44’: GOOOOOL! Zé Romário, em um lapso de memória (achando que é o baixinho), completa para o gol vazio após uma atrasada de bola do Junior Baiano. Sai comemorando e gritando: “Agora só faltam sete!”. Inter 2 a 0.

45': O juiz aponta 4 minutos de acréscimo.

45’01”: Os jogadores de ambos os times reclamam e cercam o juiz, que, acuado, termina a primeira etapa.

Intervalo: José Roberto Wrong diz que não volta para o segundo tempo, pois não agüenta ver o Flamengo jogando tão mal assim. “Com este time, nem comigo ajudando.” Em seu lugar entra Márcio Rezende de Freitas.

52’: O Inter assusta no contra-ataque. Assusta pela imbecilidade de seus jogadores em não concluir as jogadas.

57’: Quase! Começa a chover e Maizena vira uma papa. Whelliton tenta se aproveitar e chuta para o gol, mas a bola pára na poça do goleiro em cima da linha.

65’: GOLLLLLL! Do Fllllllamengo! Tabelllinha entre Whelllliton e Dillll llllleva a zaga do Inter à lllllloucura e Dilllll pullllveriza o golllleiro Maizena. Fla 1 x 2 Inter.

67': Vampeta volta do intervalo.

69': Minuto do trocadilho: Dill vai até o fundo e impede o cruzamento.

75': GOOOOOL! Celso cruza e Junior Baiano faz contra. Força do hábito. Inter 3 a 1.

76': Celso invade a área do Flamengo e sofre pênalti de Zé Romário. Mas Márcio Rezende de Freitas não marca e ainda expulsa Celso. Força do hábito.

77’: Tim é expulso e canta para o juiz: “Me dê motivo para ir embora...”

78’: Depois de um chutão pra frente de Fernando, Tonhão domina no peito e começa a tossir desembestadamente em cima de Dill. O árbitro marca falta: falta de educação do zagueiro do Inter. Pênalti. Dill cobra e, quem diria?, erra.

85': Whelliton domina a bola, vai pra cima de Cleitão e... fratura exposta! Vermelho para Cleitão e uma perna de pau nova para o perna-de-pau do Mengo.

87’: Dill tenta o sem-pulo, mas a bola era alta e ele devia ter pulado.

89’: A torcida canta: “Ai, ai, ai, ai! Ai, ai, ai, ai! Tá chegando a hora! O jogo já está chegando no fim, vou poder ir embora!”

90': Fim de jogo. O Flamengo perde e está na final da Copa dos Pesadelos!

 

PS: A votação foi encerrada às 9h08. O Flamengo ganhou de goleada: 64,07% a 35,93% dos 551 votos foi para o rubro-negro.

PPS: O livro “O dia em que me tornei palmeirense” vai para o leitor Carlos Eduardo Souza.

PPPS: O Motorádio foi ganho por Vampeta, mas antes de acabar o jogo ele já tinha ido embora. Decidiu-se então fazer uma rifa com o objeto, a fim de ajudar a cobrir o rombo do Pan.

Por Torero às 08h21

06/03/2007

Jogo vermelho na primeira semifinal da Copa dos Pesadelos

Sobraram apenas quatro equipes na Copa dos Pesadelos! E cada uma de uma parte do país: do Sul veio o Internacional, do Nordeste, o Bahia, do Rio de Janeiro, o Flamengo, e de São Paulo, o Santos. É o futebol unindo o Brasil! O mau futebol, no caso.

Agora é o tenso momento das semifinais. Mas como escolher quem enfrentaria quem? Eu não poderia usar outra vez a ordem alfabética, coisa monótona e lógica, tão oposta ao futebol.

Para me ajudar nesta difícil missão, pedi a ajuda de Tico e Teco, dois funcionários da CBF que faziam as tabelas do Campeonato Brasileiro antes dessa enfadonha história de pontos corridos. Depois de confabularem por alguns minutos, a dupla ergueu os braços e gritou em dueto: “Eureka!”

Disse Tico: “Quem tiver nome mais comprido joga com quem tiver nome mais comprido.”

“E quem tiver nome mais curto joga com... joga com quem mesmo, Tico?

“Com quem tiver nome mais curto, Teco.”

“Isso!”

Portanto, os dois jogos das semifinais serão Internacional x Flamengo e Bahia x Santos.

Hoje já teremos o encontro das equipes rubras. Para quem conseguiu esquecer, eis as escalações:

Internacional: Maizena; Nilson, Tonhão, Dacroce e Admílson; Cleitão, Leandro Guerreiro, Tim e Celso; Mazinho Loiola e Didi Facada. Técnico: Joel Santana.

Flamengo: Zé Romário; Maurinho, Fernando, Júnior Baiano e Cássio; Douglas Silva, Vampeta e Jorginho; Whelliton, Dill e Negreiros. Técnico: Júlio César Leal.

Realmente, são duas desseleções de respeito, que deixam várias perguntas no ar: Os aumentativos Cleitão e Tonhão vencerão os diminutivos Maurinho e Jorginho? Quem fará menos gols, Dill ou Didi? Júnior Baiano marcará contra mais uma vez? Vampeta tirará um cochilo durante o jogo? Maizena será levado pelo vento? Como esses jogadores foram parar em times tão grandes?

A resposta para estas e outras fundamentais perguntas estarão aqui, amanhã, neste mesmo blogcanal.

Vote e comente os grandes lances da partida!


(PS: Sortearei entre os comentaristas um exemplar do livro “O dia em que me tornei palmeirense”, de Mauro Beting, editado pela Panda Books)

Por Torero às 06h46

03/03/2007

E se Pelé jogasse hoje?

E se Pelé jogasse hoje?

Ressuscitando o "Sempre aos domingos", publico abaixo o texto do leitor Rafael Felippe:

 

Pelé nos tempos atuais

23/10/1989 – Nasce em Três Corações, Minas Gerais, Edson Arantes do Nascimento. Passa a infância assistindo aos jogos amadores das cidades vizinhas.

2004 – Com quatorze anos, Pelé começa nas categorias de base do Santos. Lá ele se destaca e Wagner Ribeiro já fecha um acordo e vira empresário de Pelé.

01/2006 – Com 16 anos ele participa da Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo Santos, que é eliminado na primeira fase. Pelé faz dois gols e chama a atenção de Vanderlei Luxemburgo, que o alça para o time principal.

02/2006 – Na terceira rodada da primeira fase do Campeonato Paulista, Pelé entra no segundo tempo da partida, na Vila Belmiro, contra o América-SP. O Santos estava ganhando por 4 a 1 e Pelé marca um golaço. Pedala contra o zagueiro Marconi e toca na saída de Buzetto. Galvão Bueno, narrando o jogo, diz, muito empolgado “Olha aí, olha o que o menino fez. Segura a fera!”.

02/2006 – Antes do clássico contra o São Paulo, na quinta rodada, Marcelo Teixeira reúne a imprensa para comunicar que o Porto-POR adquiriu o passe de Pelé por US$ 6 milhões e que a partida contra o São Paulo é a última com a camisa do Santos.

02/2006 – Pelé desembarca em Portugal e tem a ingrata notícia: Wagner Ribeiro, considerando ser mais lucrativo, avisa que Pelé jogará cinco meses no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, antes de ir para o Porto-POR. Pelé chega ao novo clube e, após quatro jogos e um gol marcado, pede para sair, pois não se adaptou ao clima do país.

03/2006 – Wagner Ribeiro consegue uma transferência de Pelé para o Cruzeiro, por empréstimo. Com o início do Campeonato Brasileiro, Pelé se destaca e marca dois gols na vitória sobre o Juventude. O Porto-POR pede que o empréstimo seja interrompido para poder contar com o jogador. O Cruzeiro, que ainda tem mais 2 meses e meio de contrato vigente, entra com uma ação na FIFA para garantir a permanência de Pelé.

04/2006 – A FIFA dá ganho de causa para o Cruzeiro, mas Pelé acha que não tem mais clima na Toca da Raposa e pede para ser liberado. Ele jogou 11 vezes com a camisa do Cruzeiro e marcou três gols.

05/2006 – Pelé chega ao Porto-POR e fica no banco de Quaresma. Ele se desentende com o técnico, que o afasta e o coloca treinando separado. O contrato com o Porto-POR termina em dezembro de 2009.

09/2006 – Temendo uma desvalorização do futuro craque, Wagner Ribeiro consegue convencer os cartolas portugueses a repassá-lo a outro clube. O Porto-POR anuncia o empréstimo de Pelé por três anos ao Lille-FRA.

02/2007 – Em fevereiro de 2007, Pelé, que até então tinha marcado 7 gols com a camisa do time Francês, em 19 jogos, se machuca. Ele passa por uma cirurgia no joelho esquerdo e fica sete meses fora dos gramados.

07/2007 – Para a surpresa dos médicos, Pelé se recupera rapidamente e já começa a treinar com bola. Quando está pronto para jogar, o técnico francês decide que não quer mais o atacante, pois quando Pelé havia se machucado, o Lille-FRA havia contratado dois atacantes para substituir o futuro craque.

08/2007 – Já recuperado da cirurgia, Pelé consegue um empréstimo junto ao Santos. No Santos, ainda com Luxemburgo, ele termina o Campeonato Brasileiro com 11 gols, mesmo jogando apenas três meses e meio. O Santos termina na terceira posição e se classifica para a Libertadores 2009.

01/2008 – Luxemburgo avisa que está de saída do Santos. Uma proposta tentadora do Bolton-ING tira o técnico da Vila Belmiro. Pelé, que é grato ao professor, pede a saída do time também após a ida de Luxemburgo para a Inglaterra.

02/2008 – Pelé então se reapresenta ao Lille-FRA, que prontamente o devolve ao Porto-POR e espera uma definição por parte de Wagner Ribeiro sobre seu futuro, já que o Porto-POR não pretende renovar contrato. Ribeiro consegue contrato com o La Coruña-ESP.

2008/2010 – Nas duas temporadas, Pelé marca 41 gols e comanda o La Coruña na conquista do terceiro lugar do Espanhol, que garante passaporte para a Champions League.

08/2010 – Cobiçado pelo Liverpool-ING, Pelé não renova com o La Coruña-ESP e se transfere para o clube inglês. Para surpresa da imprensa européia, o clube anuncia outro brasileiro: Vanderlei Luxemburgo, que fez duas temporadas razoáveis no Bolton-ING.

01/2011 – Vanderlei Luxemburgo não consegue bons resultados no novo clube e é demitido depois de ser eliminado diante do Cristal Palace-ING, na terceira rodada da Copa da Inglaterra.

01/2011 – Pelé fica revoltado com a decisão da diretoria e abandona o time. A FIFA entende o pedido de Wagner Ribeiro e rompe unilateralmente o contrato de Pelé com o Liverpool-ING.

02/2012 – Luxemburgo é apresentado como novo técnico do São Paulo, que também anuncia Pelé. O craque recebe todo o apoio de Rogério Ceni, que está preste a completar 1000 jogos com a camisa Tricolor.

2012 – No São Paulo, Pelé marcou 22 gols em 49 partidas disputadas.

01/2013 – Quando tudo indicava que Pelé renovaria contrato com o São Paulo, o Nagoya Grampus anuncia a contratação do jogador. Pelé chega à Terra do Sol Nascente para defender o 9º clube na carreira, com apenas 23 anos.

2013-2016 – Pelé se destaca no clube de Nagoya. Durante as três temporadas, Pelé marcou 75 gols em 147 jogos. A ausência na Copa do Mundo no Brasil, em 2014, foi encarada com naturalidade por Pelé. “Já faz parte do passado”, afirma.

2017 – Experiente, com 28 anos Pelé anuncia que vai jogar novamente em Portugal, desta vez no Sporting-POR.

2017-2021 – Pelé, mais maduro, encerra seu ciclo na Europa com um bom saldo no clube português: foram 4 temporadas, 203 jogos e 66 gols.

2022 – Com 33 anos, Pelé afirma que vai jogar mais duas temporadas no Santos antes de encerrar a carreira. No término do Campeonato Paulista, Pelé recebe uma boa proposta do Olympiakos-GRE.

2022-2023 – Pelé tem atuação apagada na Grécia. Se machucou muito e marcou apenas 9 gols na temporada e meia que permaneceu na Grécia.

2024 – O Bangu, que passa por transformação, anuncia Pelé para a disputa do Campeonato Carioca. Além do experiente Pelé, o clube carioca anuncia outro veterano: Romário, que busca o milésimo gol – faltam apenas três.

2024 – O Bangu cai na semifinal da Taça Guanabara diante do Vasco e Romário, enfim, marca o milésimo gol, contra o Volta Redonda.

2024 – Pelé encerra a carreira aos 35 anos e vira comentarista esportivo. Pelé jogou 753 partidas na carreira e marcou 274 gols. Se aposentou como o maior artilheiro da história do Nagoya Grampus. Conquistou um Campeonato Mineiro, uma Copa de Portugal e duas Copas do Imperador.

Por Torero às 23h45

Santistas x santistas

Transcrevo aqui o parte do email que recebi do leitor Carlos Rodolfo Pimentel Braga:


"Olá, Torero, tudo bem?

Não sei se você soube o que se passou na Vila, no intervalo do jogo entre Santos e Defensores.

Vc conhece a A-10? Trata-se de uma nova torcida organizada do Santos, que é de certa forma, formada em outros padrões. Nos jogos na Vila, ela sempre fica localizada atrás do gol onde está o placar, e não pára sequer um minuto de incentivar o time durante a partida inteira.

No intervalo do jogo, a torcida Jovem foi até o pessoal da A-10 e, por mais incrível e surpreendente que isso pareça, bateu nos caras e também quebrou os seus instrumentos... E você sabe por quê? Porque eles cantaram o jogo todo e, de certa forma, estão roubando espaço da Jovem.

Tem cabimento isso, Torero? Irmão que bate em irmão é o pior tipo de traíra que existe! Todos que vão a Vila vão com a idéia de ver o Santos vencer! Agora acontece essa baixaria, onde vemos santistas batendo em santistas... é triste demais! (...)

Não tem cabimento! Ao invés de se unirem, se destruirem!

Perdoe-me pelo incomôdo! Um abraço! Até mais ver!"

 

Fica aqui o registro. Se o outro lado quiser, pode se manifestar.

Por Torero às 23h27

02/03/2007

Santos perde e Vasco está fora da Copa dos Pesadelos

Santos e Vasco fizeram um jogo memorável, com cenas que serão reprisadas por muitos e muitos anos, provavelmente nas Videocassetadas.

Antes de começar o jogo, o hino do Brasil foi cantando por Fábio Júnior, o jogador, o que levou os 13 torcedores presentes a, em vez de colocarem a mão direita sobre o peito, colocarem as duas sobre os ouvidos.

A partida em si foi marcada pelo equilíbrio no placar e pelo desequilíbrio dos atacantes com as bolas nos pés.

O lance decisivo veio apenas aos 45’ do segundo tempo, por intermédio de Valdir Papel (na pesquisa, o resultado foi 56,11% para o Santos e 43,89% para o Vasco, às 6h20, com 180 votos).

Com a vitória, o Vasco está fora da competição. Eurico Miranda, inconformado com a desclassificação, depois do apito invadiu o campo e ficou gritando: "Eu não posso ficar de fora, eu sou o dono dessa Copa! Eu sou o maior dos Pesadelos!"

Vejamos agora outros depoimentos dados após a partida:
 

SANTOS

Reginaldo Araújo: "Pela última vez, a Viviane Araújo não é minha irmã!"

Maezono:のけ健康向維持・増た進に、

Kobayashi: コミ作ス制ポーツクラ共ブナと同 (tradução: Pô, deixa de gracinha comigo que eu sou brasileiro!)

Copertino: (fazendo merchandising) "A derrota não foi o pior. O pior é que o sol castigou e eu não passei o meu Copertone.

Edgar Baez: “Sou ou não sou eu, eis a questão...”

Marcelo Fernandes: "Marcelo é por parte pai, Fernandes por parte de mãe e o meu futebol não veio de parte alguma."

Fricson: "Euc semprec causoc fricsson por ondec euc passoc. O senhor tem remédioc para soluçoc?".

 

VASCO

Tadic: "Shsjudu sjybs dhyd besy Pet" ("Dedico esta vitória ao meu amigo Pet", em sérvio).

Cafezinho: "Eu estava frio, mas o professor me deu uma colher de chá e me escalou. Como não passamos para a fase seguinte, vou ficar com um gosto amargo na boca.”

Nasa: “É, a Copa foi para o espaço...”

Nelson Patola: “Marcar japonês não é a mesma coisa...”

Fabio Júnior: “Você já sabe e me conhece muito bem...”

Pirulito: “Eu e Papel nos enrolamos muito ali na frente. Acho que eu jogaria melhor com Gralak.”

Valdir Papel: “Serginho Fraldinha fez merda e aí sobrou pra eu limpar e marcar.”

Um torcedor: “Tem jogo que é um colírio para os olhos. Este aqui deu vontade de ficar cego.”

Em tempo: O Motorádio foi dado para os 13 torcedores, a título de indenização.


Por Torero às 05h42

01/03/2007

Os fugazes cometas do futebol

Um dos fenômenos astrofutebolísticos mais curiosos do universo é o jogador-cometa. Certamente um deles já passou pelo seu time.

Eles chegam prometendo brilhar intensamente e realizam uma grande partida. Mostram habilidade e são uma promessa de grandes vitórias. Mas, quando você espera que o jogador-cometa brilhe no dia seguinte, como um rotineiro sol que se levanta todas as manhãs, onde está ele? Foi-se. Desapareceu. Apagou-se. Às vezes até está lá, no banco de reservas, mas se tornou obscuro, sem luz.

(Para ler o resto do texto da Folha de hoje, uolistas e folhistas podem clicar aqui.)

Por Torero às 19h35

Paraná 16 x 5 Internacional

Mal desceu do ônibus e Gilson Kleina já começa a explicar o porquê da desclassificação, dizendo que chegar as quartas já era mais do que o esperado e o time estava de parabéns.

Joel, por sua vez, chegou com todos os jogadores portando prancheta e explicou: "Tática? Não, estávamos brincando de stop!".

A partida começou com meia hora de atraso porque Messias fez uma longa preleção aos seus companheiros, discurso que ficou conhecido como “O Sermão do Vestiário”.

Vamos ao jogo!

1': O juiz apita o início da partida. Wellington Paulista rola para Zumbi, mas este não mexe, como se estivesse morto. Messias dá-lhe um tapa na cabeça e ele ressuscita.

9': Daniel Frasson acerta Tim, causando frisson na torcida. Tim aceita as desculpas de Daniel pois, como em seu antigo LP, estava Racional.

12’: Tora, à beira do campo, compra pipoca.
 
19': Goooooool! E é do Paraná! Messias, Zumbi e ET fazem uma jogada do outro mundo e colocam os paranistas em vantagem.

25': Kleina sorri à beira do campo com uma plaquinha onde está escrito: "Eu já sabia!".

34': Messias e Carlinhos, como se dançassem um pas de deux, fazem uma empolgante tabela, batizada de "Carlinhos de Jesus". Infelizmente chocam-se e a bola sai pela lateral.

35’: Tora, à beira do campo, compra amendoins.

43': Didi descobre que não era reserva e vai ao campo. "É a força do hábito", justificou.

44': Mal entrou, Didi já recebe a bola e, no reflexo, aplica-lhe uma facada. "Força do hábito", justifica novamente.

50´: Messias salva! Em cima da linha.

52': Tora, à beira do campo, chama um vendedor de cachorro-quente e encomenda dois completos.

62´: Messias salva! E manda para escanteio.

74’: Zumbi avança no contra-ataque, mas é contido por Cleitão, que reza duas ave-marias e um pai-nosso.

75’: Goooool! De Mazinho Loyola. O ex-paranista vinga-se do ex-clube e quase é ex-terminado pelos ex-altados ex-companheiros.

87’: Facada dá um corte em Carlinhos, entra por dentro, gira pra um lado, gira pro outro e deixa sangue por toda parte. Darci, nervoso, desmaia. Com o gol vazio, o atacante chuta. A bola vai para fora. Didi, envergonhado, pratica o haraquiri.

89’: Cleitão fica encapetado, dribla Messias, que cai ajoelhado, e lança para Tim na grande área. Mas Tim, como sempre, estava fora da área. 1 a 1.

90’: Termina o jogo e vamos para os pênaltis.

Pênaltis: Milagrosamente, todos os cinco jogadores do Inter e os quatro do Paraná convertem suas cobranças. Mas, mais milagrosamente ainda, no último pênalti Messias faz a multiplicação das bolas. Ele chuta apenas uma, mas doze, como doze eram os apóstolos, entram no gol de Maizena. O Paraná ganha por 16 a 5 e o Colorado segue na competição.

(Post Scriptum: O Motorádio vai para Joel, que promete embuti-lo na prancheta.)
 
(Post Post Scriptum: A votação acabou às 7h41. Em 193 votos, tivemos 73,06% para o Internacional e 26,94% para o Paraná.)

Por Torero às 06h50

Santos x Vasco: quem será o vitorioso derrotado?

Voalá! Chegamos ao último jogo desta fase Copa dos Campeões. Sim, meus estimados leitores e minhas queridas, adoradas e idolatradas leitoras, a Copa está chegando ao fim.

Depois de hoje teremos apenas mais três partidas. Mas, como na vida, não lamentemos o fim e celebremos o agora!

E agora é hora de Vasco x Santos, dois times que merecem como poucos estar nesta competição.

Nos últimos 20 anos, as diretorias destes clubes foram juntando pérolas especialmente para esta nobre competição. Por isso hoje teremos de tudo em campo: goleiro gordo, zagueiro zanago, lateral lamentável, meio-campista meia-boca e atacante tacanho.

Quereis provas? Vamos às escalações:

O vascaíno vai chorar ao lembrar de: Tadic (“o amigo do Pet”); Cafezinho, Bebeto, Alê (que também participou da seleção do Fluminense) e Diego; Nasa, Nélson Patola e Gomes (“o melhor jogador do Furacão na goleada por 7 a 2”); Fábio Junior, Nilson Pirulito e Valdir Papel. Técnico: Dário Lourenço. Presidente: Eurico Miranda.

O santista dará um sorriso nervoso ao recordar os nomes de: Gilberto; Reginaldo Araújo, Maurício Copertino, Camilo e Fricson George. Marcelo Fernandes e a dupla Kobayashi e Maezono; Serginho Fraldinha, Demétrius e Edgar Baez (o que não era ele). Presidente: Miguel Kodja Neto. Técnico: Nelsinho “Sete a Um” Baptista.

Para este jogo, convido meus brilhantes comentaristas-leitores a mandarem quais as declarações dos jogadores depois do jogo. Eles podem justificar gols, explicar frangos, contar lances, reclamar, elogiar companheiros (se for possível), mandarabraços para terceiros, enfim, o que vocês quiserem.

Com determinação e raça, vamos dar tudo de si!

Por Torero às 06h49

Sobre o autor

Formado em Letras e Jornalismo e quase formado em Cinema, é autor de treze livros (como "O Chalaça"), escreveu roteiros para cinema (como "Pequeno Dicionário Amoroso") e para tevê ("Retrato Falado").

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.